terça-feira, 26 de junho de 2018

Síndrome mão-pé-boca: sintomas, tratamentos e causas









O que é Síndrome mão-pé-boca?

A síndrome mão-pé-boca é transmitida pelo enterovírus 71, também chamado de vírus cosxackie, da família das enteroviroses. A síndrome leva esse nome, pois a sua característica é a presença de feridas avermelhadas na planta dos pés, mãos e interior da garganta.

Causas

O enterovírus 71 espalha-se facilmente por meio de tosse, espirros e saliva, mas também pode ser transmitido pelo contato com fezes infectadas.

Fatores de risco

A síndrome mão-pé-boca afeta principalmente crianças, mas também pode atingir adultos que entram em contato com a mucosa ou fraldas de uma criança infectada. Sua incidência pode aumentar até 20% no outono e no inverno, por conta da imunidade ficar mais baixa no período.

Sintomas de Síndrome mão-pé-boca

Os primeiros sintomas da síndrome mão-pé-boca são febre de 38 a 39 graus e dores de garganta. Após dois dias, aparecem lesões (feridas avermelhadas) na região dos pés, mãos e interior da garganta, que podem ou não se espalhar para as coxas e nádegas. Em alguns casos a criança não apresenta sintomas aparentes.
Se o quadro for mais grave, as lesões podem se transformar em pústulas ou bolhas, que estouram depois de seis dias. Por conta das lesões no fundo da garganta, o paciente também sente dificuldade de engolir líquidos ou alimentos.

Diagnóstico de Síndrome mão-pé-boca

Na maioria dos casos, apenas uma análise das feridas já é suficiente para que a síndrome mão-pé-boca seja identificada. Se houver dúvidas, o médico poderá pedir um exame de sangue sorológico. O enterovírus 71 também pode ser identificado por um exame de fezes.

Tratamento de Síndrome mão-pé-boca

A síndrome mão-pé-boca é tratada com medicamentos anti-inflamatórios ou, se o quadro for grave, medicamentos antivirais. É importante oferecer ao paciente muito líquido, de preferência em temperatura baixa, e evitar a ingestão de alimentos muito quentes, ácidos ou condimentados – que podem acentuar as dores na garganta.
Em geral, a síndrome mão-pé-boca desaparece sozinha dentro de cinco e sete dias. Após a melhora dos sintomas, o paciente adquire imunidade ao enterovírus 71, não sendo contaminado novamente.

Complicações possíveis

Por conta da dificuldade de engolir, a criança pode ficar muito tempo ingerindo poucas quantidades de líquidos, podendo sofrer uma desidratação. Nesse caso, há a necessidade de internação para que o paciente receba soro fisiológico.








terça-feira, 12 de junho de 2018

Franaça

Jornalista usa celular com tradutor e rouba a cena em coletiva de Griezmann; atacante diz que já decidiu sobre Barcelona

Griezmann em coletiva de imprensa da França (Foto: Reprodução)Em entrevista coletiva na Rússia, atacante do Atletico de Madri faz rápido comunicado e depois só responde perguntas feitas em francês. Ele ainda não confirma destino


Antoine Griezmann é o nome da vez no mercado europeu. E isso chega à Rússia, onde o atacante da França concedeu entrevista coletiva no começo da tarde desta terça-feira (manhã no Brasil) e garantiu que já tem uma decisão sobre seu futuro, embora não vá torná-la pública ainda.
Antes de responder às perguntas dos jornalistas, Griezmann fez um breve comunicado, em francês e espanhol, falando... que não falaria nada. O destaque do Atletico de Madri está em vias de se transferir para o Barcelona, e a ideia era evitar que isso tomasse conta da entrevista.
– Sinto muito. Não é o dia. Sei que há muita espera, mas hoje não é o dia – disse ele.

A assessoria de imprensa da seleção francesa proibiu perguntas que não fossem em francês. Mas os jornalistas tentaram. Um deles colocou um tradutor no celular e aproximou o microfone do aparelho. Foi possível ouvir a pergunta: se ele já tinha decidido se trocaria de clube. Griezmann e os jornalistas riram; o assessor de imprensa ficou furioso e disse ao jogador: "Não responda, por favor".

G1

segunda-feira, 28 de maio de 2018

'Homem-aranha' imigrante que escalou prédio para resgatar criança ganha cidadania francesa

Mamoudou Gassama, de 22 anos, encontrou-se com o presidente francês e vai trabalhar no corpo de bombeiros. Ele chegou a Paris em setembro.


 O imigrante malinês de 22 anos que escalou um prédio no norte de Paris para evitar a queda de um menino ganhou a cidadania francesa. Mamoudou Gassama, que chegou à capital francesa em setembro, encontrou-se nesta segunda-feira (28) com o presidente Emmanuel Macron.
“É um ato excepcional, e por isso, a partir de hoje, todos seus documentos serão regularizados e vamos dar início a um processo para que você possa obter sua cidadania francesa”, afirmou o presidente francês. “Você se tornou um exemplo para muitas pessoas, é normal que a nação demonstre seu reconhecimento”, completou.
Macron vem sendo duramente criticado por endurecer a política em relação aos imigrantes ilegais, favorecendo as expulsões. O presidente francês anunciou ainda que Gassama irá integrar o corpo de bombeiros.
No sábado (27), Mamoudou Gassama, que vive em um abrigo, escalou quatro andares com as mãos e evitou a queda do menino de 4 anos da sacada de um prédio, no 18° distrito de Paris.
O vídeo que registou o salvamento viralizou. As imagens mostram que ele precisou de cerca de 30 segundos para escalar os quatro andares apenas com a força dos braços.
https://www.youtube.com/watch?v=qmslsoWCn0c&list=UUDlgPPa4GUWd6oEU5r3v6ig
Mamadou Gassama disse que agiu sem pensar, “porque se tratava de uma criança e ele gosta muito de crianças”, de acordo com a Rádio França Internacional. Ele diz não ter avaliado o risco. “Ouvi as buzinas, os carros em volta buzinarem, atravessei a rua para salvá-lo e graças a Deus consegui”, declarou. Ao jornal “Le Parisien”, o imigrante malinês disse que “vai à academia, corre com frequência e joga futebol”.
Em entrevista o canal BFMTV, o jovem também disse que sentiu medo depois de salvar a criança. “Fui para a sala do apartamento e comecei a tremer. Precisei me sentar e perguntei ao menino porque tinha feito aquela bobagem. Ele não me respondeu”.
O menino em seguida foi atendido pelo corpo de bombeiros, que atribuiu a façanha à ótima condição física de Mamadou”. O menino saiu ileso e só perdeu uma unha. O jovem malinês teve poucos arranhões.
Um inquérito foi aberto pela polícia para apurar o caso. O pai da criança, de 36 anos, foi detido para interrogatório. Ele contou que deixou o garoto sozinho em casa “alguns minutos” para fazer compras, e disse que a criança subiu na sacada e ficou bloqueada do lado de fora. A mãe não estava em casa. A Justiça retirou temporariamente a guarda do menino da família.

Fonte: G1